Um restaurante ao lado da nossa casa.
Ninguém merece....


Quando mudamos para cá em 1977, a casa ao lado da minha (Av. Carneiro da Fontoura, 85 - Porto Alegre) era ocupada pelo seu proprietário, um português chamado Fangueiro. Ele morreu no final da década de 1980. Anos depois, uma herdeira resolveu alugar o imóvel. Desde então, ali já foi clínica de psicólogas, escritório de contabilidade, advogados, fisioterapeutas, restaurante. Esse parece ser aquilo que se denomina de "ponto maldito" -- nada dá certo nessa esquina...

No final da década de 1990, surgiu o primeiro restaurante. O locatário era Antenor Ogawa, gente fina. Apesar dos problemas que um restaurante traz aos vizinhos, ele era simpático e procurava colocar-se na posição dos prejudicados, ao contrário do que aconteceu com seus sucessores.

O cheiro de comida e as frituras são um inferno. Nossa casa já tem fedor residente nas paredes, roupas, cortinas, toalhas, lençóis, sofás, assentos de cadeiras... Não podemos pôr roupa no varal no horário de funcionamento do restaurante, pois fica tudo fedendo à fritura, feijão, etc. Até minhas gravatas já fedem à fritura!

Cada novo interessado em comprar o ponto esquece de conversar antes com a vizinhança sobre as características da região, o movimento de clientes, segurança -- teve época em que o restaurante era arrombado diariamente, às vezes mais de uma vez por noite! E várias vezes houve assalto durante as refeições, inclusive com clientes sendo agredidos pelos bandidos, quando houve tentativa de abrir o restaurante à noite. E por que cada proprietário não fica mais de 1 ano com o negócio? Já foram 11 ou 12 proprietários no espaço 13 ou 14 anos (inclusive um que já tinha - e ainda tem - outro restaurante, um advogado, um administrador de empresas, uma cozinheira profissional, etc). Será que cada novo interessado no ponto não faz uma pequena pesquisa, não se dá conta de que existem aqui mais de 20 restaurantes num raio de 800 metros?

Todos chegam cheios de esperança, derrubam paredes, fazem reformas e algumas pinturas cosméticas, e alguns construíram "puxadinhos" (o prédio já virou uma espécie de "favela", com "puxadinhos" mal feitos, sem reboco, sem pintura, etc). Um dos proprietários construiu uma "extensão" de garagem no recuo do terreno (proibido, pelas normas municipais), que bloqueou a visão da rua e dificultou a saída da nossa garagem, aumentando a insegurança e desvalorizando o meu imóvel mais um pouco (cada "puxadinho" tipo favela já tinha desvalorizado um tanto).

Cada novo proprietário desvaloriza um pouco mais o meu imóvel com suas obras, causa mais um tipo de problema, acaba um pouco mais com o nosso sonho de viver num ambiente limpo e apresentável, destrói um pouco mais a tranquilidade da minha família (a recente instalação da chaminé é um exemplo, pois essa ficará para sempre). E, claro, ninguém toma conhecimento disso. A rotina é chegar pela manhã, ganhar dinheiro e voltar pra sua casa no final do dia. Os vizinhos estão sendo prejudicados? Isso nem passa pela cabeça do dono do negócio. E se passar, quem se importa com isso?

De uns anos para cá, já sinto até vergonha de receber meus parentes, amigos e clientes, pois de nada adianta minha casa estar sempre limpinha, pintadinha, bonitinha e bem cuidada, quando os vizinhos são relaxados (para usar um adjetivo "suave").

Diariamente, lá pelas 7h30 já temos que sair correndo pela casa, fechando janelas e portas às pressas, para evitar a entrada do fedor e da gordura das frituras. Somente depois das 15h00, mais ou menos, é que podemos abrir a casa novamente. Num verão de 40 graus, como andou fazendo, ficamos sufocados. E no inverno, deixa as paredes e tetos da nossa casa mofados, pela falta de ventilação. Ou seja, estamos sendo prejudicados e humilhados dentro da nossa própria casa. E tudo isso para que um vizinho possa ganhar dinheiro. No final do dia, ele vai embora para a tranquilidade do seu lar e nem toma conhecimento do nosso sofrimento.

Outro problema é a grande quantidade de ratos e baratas. Desde que começou a funcionar um restaurante ali do lado, vivemos em constante luta contra essas pragas, que trazem sérios riscos para a nossa saúde, além do aspecto repugnante.

Além disso, parece que para alguns donos do negócio a rua termina exatamente no limite da sua garagem, pois estacionam seus carros "embicados" na entrada da garagem, não permitindo a passagem dos vizinhos e transeuntes, inclusive cadeirantes (a exceção, até hoje, foi o Antenor - primeiro locatário).

O mesmo ocorre com relação à sujeira e má conservação das calçadas, pois somente a frente do restaurante é mantida em bom estado. A calçada lateral geralmente está suja e mal cuidada. O atual locatário está operando há 2 anos e a calçada jamais viu uma vassoura...

_____________________

10 junho 2011 - Nossa casa e nosso quintal ficaram literalmente saturados com fumaça e cheiro de carne assada. Tivemos que recolher, às pressas, toda a roupa do varal. Falei com proprietário às 10h35, reclamando da fumaceira. Ele reafirmou seu interesse em não incomodar os vizinhos, prometendo entrar em contato com o funileiro pra tentar aumentar a altura da chaminé ainda neste final de semana. Mas disse que não pode abrir mão de fazer carne assada.

10 agosto 2011 - Hoje faz 2 (dois) meses que o dono do restaurante prometeu aumentar a altura da chaminé. Nada foi feito. Agora tudo na minha casa tem cheiro de churrasco, inclusive as roupas de cama! As telas das janelas e os varais de roupa estão sempre cobertas de gordura e pretos com a fuligem proveniente da churrasqueira do restaurante. Ou seja, temos apenas o domingo para secar roupa sem fumaceira e fedor.

03 outubro 2011 - Com a introdução da churrasqueira pelo atual proprietário, agora nossa casa passou a ficar mais tempo fechada, além de ter aumentado o fedor de fritura e de fuligem da churrasqueira.

09 outubro 2011 - Neste fim de semana o restaurante não funcionou. Finalmente foi possível ventilar nossa casa. Abrimos todas as portas e janelas, inclusive a porta da garagem, no sábado e no domingo! Uma esmola de cidadania, mas o humor da família já melhorou muito...

_____________________


15 dezembro 2011 - Falei hoje (às 19h55), em companhia do Petry, com o novo proprietário do restaurante. Ele disse que assumiu o negócio há uns 15 dias. Pretende fazer uma série de alterações e melhorias, tanto na parte física quanto no atendimento & qualidade. Disse que vai fechar para o público após 22/12 e até o final do ano, para poder implementar as modificações.

02 janeiro 2012 - Até hoje, foram 12 dias de "folga" pra nós: conforme prometido pelo novo proprietário, o restaurante não funcionou nesse período. Nesses doze dias, foi uma felicidade geral aqui em casa!

03 janeiro 2012 - O restaurante continua fechado para o público. Mas o cheiro forte de cozinhavoltou.

20 fevereiro 2012 - Ás 9h30 tivemos que sair fechando às pressas janelas & portas --- nossos vizinhos do restaurante já estavam usando a churrasqueira, jogando fumaça e poluição (fuligem e gordura) sobre a vizinhança! Então, adeus tentativa de ter alguma cidadania...

21 junho 2012
O restaurante colocou hoje uma placa vendendo o ponto. Com certeza logo aparecerá um novo incauto interessado, como já aconteceu umas 10 vezes nos últimos 13 ou 14 anos (cada novo proprietário fica em torno de 1 ano), e que já vai novamente derrubar mais algumas paredes e fazer mais algumas pinturas, sempre na ilusão de ganhar dinheiro num ponto que nunca deu certo -- mas que sempre deu incomodação para os vizinhos...

_____________________


03 julho 2012 - Mudou de dono? Faixa na frente do restaurante diz que em breve voltará a funcionar, "sob nova direção". Vai se chamar Severo's.

20 julho 2012 - Uma nova chaminé foi instalada, desta vez onde está localizada a cozinha do restaurante.

01 agosto 2012 - Recomeçou hoje a funcionar. Desde cedo, já sentimos o fedor característico de fritura e de comida.

02 setembro 2012 - Trabalharam no telhado da garagem e "puxadinho", colocando manta asfáltica. À noite, eu e minha mulher limpamos a sujeira que foi jogada na calçada. Parece que o serviço de vedação não foi bem feito, pois a maior parte caiu sobre meu telhado.


08 outubro 2012 - Às 15h40 tentamos sair de carro pra levar a filha ao oculista, mas tinha um carro da família do proprietário estacionado na frente da nossa garagem. Quando pedi para retirar, um sobrinho do dono apareceu no muro e passou a ofender minha família, chamando-nos de chatos e xaropes -- tudo porque queríamos sair da nossa casa e o carro deles estava impedindo isso....

_____________________

19 novembro 2012 - Parece que restaurante tem novo proprietário.

Dezembro 2013 - Ponto do restaurante está novamente à venda.

_____________________


09 dezembro 2013 -
Um interessado em comprar o restaurante veio falar comigo hoje, por volta das 20h30. Ele andou lendo esta página.
Parece tratar-se de pessoa bem educada, simpática e diz-se interessado em ter bom relacionamento com a vizinhança.
Se comprar o ponto, diz que pretende adotar um novo perfil, visando a um público de padrão mais elevado.
Quanto à churrasqueira, que tanto nos tem prejudicado, disse que podemos ficar tranquilos porque ela não será usada por ele.

Novos proprietários parecem caprichosos e bem educados. O novo dono tem vindo seguidamente falar comigo e com minha esposa.

Fevereiro 2014 - Passamos a ter um forte cheiro de comida (temperos, frituras, cozimento de feijão), já a partir das 7:00h da manhã.

Portanto, voltamos à rotina dos anos anteriores -- manter aberturas da casa fechadas (com todo o calorão senegalês que tivemos em fevereiro), levantar bem cedo pra fechar janelas, etc. Além disso, a famigerada churrasqueira voltou a funcionar, aos sábados, contrariando a promessa do novo proprietário.

Então, agora, temos que sair de casa no sábado, pelo menos durante o horário de funcionamento da churrasqueira (que tem sido entre 10h e 16h), tomando sempre o cuidado de fechar todas as aberturas da casa antes. Lavar roupa aos sábados? Agora nem pensar...

O atual dono do restaurante é uma pessoa culta e muito atenciosa, e certamente vai fazer o possível para amenizar esses problemas. Mas, enquanto isso, estamos sofrendo....

22 março 2014, sábado - Às 08h35 da noite a churrasqueira do restaurante recomeçou a fumaceira. Hoje pela manhã, logo que a chaminé começou a fumegar, lá pelas 10h30, resolvemos sair de casa pra não ter de aguentar mais algumas horas de poluição.

29 março 2014 - Churrasqueira começou a fumegar às 09h25. Tivemos que fechar tudo. Como o calor ficou insuportável, tivemos que sair de casa. Passamos praticamente todo o dia fora. Aqui em Porto Alegre, os restaurantes cobram (bem) mais caro nos sábados e domingos. Portanto, além de tudo, passamos a gastar mais para que o restaurante ao lado possa faturar.... E também deixamos de assistir a um programa cultural importante pra nossa família, que é transmitido somente aos sábados entre 13h e 15h (horário em que agora somos forçados a sair de casa).

Por que tenho que aguentar o cheiro, a fumaça, a fuligem, os gases carregados de gordura das frituras de um restaurante que resolveu se estabelecer ao lado da minha casa? "Ah, mas a prefeitura deu licença..."


05 abril 2014 - 09h30: Churrasqueira começou a poluir. Hora de fechar tudo e sair de casa....

18 abril 2014 - Aleluia! Hoje, sexta-feira santa, o restaurante não funcionou. Tivemos 1 dia inteirinho sem cheiros, fumaça, gordura (e sem clientes jogando copinhos plásticos e lixo na frente da nossa casa). Passamos quase todo o dia com portas & janelas completamente abertas. Infelizmente, não foi possível guardar o dia santo, pois tivemos que aproveitar a "folga" que o restaurante nos deu para lavar e pendurar a roupa no varal.
Foi preciso Cristo ter sido morto há quase dois mil anos para que tivéssemos 1 dia sem poluição neste feriado... Obrigado Jesus!

Abril, maio, junho
. Nosso suplício continua igual.

25 junho 2014, 08h55 - Hoje, quarta-feira, estamos tendo uma "edição extra" de poluição da churrasqueira, e que começou a funcionar já a esta hora!! Minha mulher tem uma máquina cheia de roupa lavada desde ontem à noite e que só esperava o sol desta manhã, depois de vários dias de chuva -- agora como vamos secar essa roupa toda? E para onde vamos fugir de casa hoje, com jogo da Argentina pela Copa em Porto Alegre? Ninguém merece....

26 julho 2014, sábado:

10h15
- Churrasqueira já está poluindo novamente. Mas hoje não vamos poder fugir de casa, pois minha esposa está doente.
É injusto, mas o dono do restaurante tem que ganhar dinheiro...

15h00 - Fumaceira continua. Desde as 10h15 não foi possível abrir nenhuma porta ou janela da nossa casa.
15h15 - Nova lufada de fumaça, mas agora diferente no aspecto e no cheiro. Queimando alguma coisa que não seja carne?
16h45 - A churrasqueira do restaurante está queimando lixo neste momento! Era só que nos faltava....

09 agosto 2014, sábado: 10h35 - Fumaceira está de volta. (Desde junho, temos poluição da churrasqueira também nas quartas-feiras).

13 agosto 2014, quarta-feira, 16h20 - Estão queimando lixo na churrasqueira do restaurante, novamente!

21 agosto 2014, quinta-feira, 15h15 - Churrasqueira do restaurante está novamente queimando lixo (ver
Lei de Crimes Ambientais, 9.605/98).

20 setembro 2014, sábado - O restaurante ao lado não funcionou hoje. Felicidade total na família! Todo mundo com um sorriso na cara!

11 outubro 2014, sábado, 09h50 - A poluição do vizinho já voltou.... Infelizmente, hoje não poderemos fugir de casa. É sofrer e sofrer...

15 novembro 2014 - Proclamação da República. Excepcionalmente, neste sábado o restaurante não funcionou, devido ao feriado. Assim, a vizinhança saboreou uma migalha de cidadania. Aqui em casa foi só alegria... Obrigado Marechal Deodoro!

14 dezembro 2014, domingo! - Além de ser nosso único dia de "folga" dos malefícios do restaurante ao lado, hoje, domingo, o inferno começou mais cedo. Ás 7:00 da manhã já tinha um cheirão de feijão em toda a vizinhança. Por volta das 9:00 teve início o clássico fedor de frituras. E às 9:45 a maldita churrasqueira começou a funcionar. Infelizmente, hoje não vamos poder fugir de casa.
15:00 - Estão queimando lixo na churrasqueira do restaurante!

25 dezembro 2014, Natal - O restaurante não funcionou hoje. Que felicidade! A reunião da família hoje foi tranquila, com portas e janelas abertas, sem fedor de frituras, sem gordura entrando na nossa casa e grudando nas paredes, nos vidros das janelas, nas roupas, nas plantas e flores; sem fumaça, fedor e fuligem da churrasqueira. Finalmente alguns momentos de cidadania. Obrigado Jesus por ter nascido neste dia!

01 janeiro 2015 -
Hoje foi mais um dia de folga!

03 janeiro 2015, sábado, 10:00h - Recomeçou fumaceira na chaminé. Nossa roupa só poderá ir pro varal no final do dia.

12 janeiro 2015 - Hoje, segunda-feria, fomos brindados com uma "edição extra" de fuligem e fumaceira (churrasco).

Chaminé da churrasqueira caiu por volta das 15h45 em 04/01/2012 (ouvimos o barulho aqui no domingo).

20 janeiro 2015, 10h20 -
Proprietário do restaurante veio falar conosco. Disse que adotou novo tipo de churrasqueira que dispensa uso de chaminé. Segundo ele, de agora em diante não mais teremos a tradicional poluição do churrasco nas quartas e sábados. A chaminé caída não será recolocada.

24 janeiro 2015 - Neste sábado, não sentimos os "efeitos colaterais" do churrasco no restaurante aqui em casa.




Fevereiro 2016 - Volto a postar depois de 1 ano, para manter meus leitores informados sobre a nossa situação.

Quero agradecer as dezenas de emails que recebi nesse período, de várias partes do Brasil.

Agradeço também aos advogados que ofereceram seus serviços, especialmente a equipe do Dr. Facchin, que tem atuado com sucesso em casos semelhantes (noutro Estado). Porém, tenho familiar nessa área que, embora seu cargo não lhe permita advogar, certamente poderá me orientar, caso seja necessário ingressar na Justiça.

A situação continua praticamente a mesma de 1 ano atrás, apenas sem a fumaceira da chaminé. O fedor e as emanações de frituras continuam igual, além dos cheiros fortes dos temperos e do cozimento, que começa cedo da manhã (por volta das 7:00h) e só termina no meio da tarde.

Além disso, há alguns meses o restaurante passou a guardar o contêiner do lixo dentro da garagem, às vezes por vários dias, causando a inevitável fermentação e aquele típico cheiro de carniça. Infelizmente, esse fedor todo não fica contido dentro da garagem do restaurante, pois é tão intenso que vaza pelo telhado e frestas e impregna uma extensa área ao seu redor. Alguns parentes e clientes que nos visitam têm comentado que a "minha" casa está com "cheiro de lixão".... E à noite, quando costumamos sentar para ver TV ou ler na sala de estar, temos que fechar a janela, pois o cheiro de lixão fica insuportável. Já falei com o proprietário algumas vezes sobre isso. Ele sempre me trata bem e promete tomar providências (só que não).

Nessa área, temos também outro problema. Quando o funcionário retira os sacos de lixo, costuma "passar uma água" no contêiner (tipo, 2 baldes...), mas faz essa "caprichada" limpeza em cima da calçada, a pouco metros da garagem. Ou seja, o fedor da água fica bem perto da minha casa e a água suja acaba sendo pisoteada pelas pessoas que passam por ali. (Ver foto abaixo).

Quando o lixo é retirado por uma van, é comum escorrer líquidos dos sacos e deixar um rastro de imundície na calçada e na rua, como aconteceu recentemente com muitos litros de azeite rançoso -- eu e minha mulher tivemos que espalhar areia sobre o azeite derramado (ver fotos abaixo), para minimizar a sujeira trazida pelas rodas dos carros que manobram na entrada das nossas garagens; ou como a poça de imundície, que parece sangue mas é "suco" de beterraba, que o coletor particular de lixo derramou na frente da nossa casa.

Outro problema que tem incomodado é a "logística" do restaurante -- quase toda entrega de mercadoria é feitas pela garagem, com os respectivos veículos estacionando em frente à entrada da minha garagem (ver fotos abaixo), muitas vezes em cima da nossa calçada. O basalto nessa área já está bem deteriorado, devido às "investidas" de pesados caminhões e toda espécie de veículos e golpes de caixas e diversos tipos de embalagens. [Nos domingos, minha mulher e eu trabalhamos com cimento para consertar os estragos.] Algumas vezes, o motorista do veículo estacionado "desaparece", e nós ficamos sem ter como sair de casa ou chegar nela.

Em resumo, tá difícil a situação.....

- - -

8 fevereiro 2016 - Segunda feira de Carnaval. Muita gente viajou e lojas fecharam. Pra quem ficou na cidade, é hora de aproveitar, certo?

Errado
. Como vem acontecendo, o contêiner de lixo do restaurante ficou fechado na garagem, fermentando e fedendo cada dia mais. O lixo está lá provavelmente desde a última quinta-feira (hoje foi o 4º dia, portanto).

O fedor de lixão está insuportável. Com o calorão que tem feito, seria bom abrir uma janela, né? Esqueça. Proibido abrir janelas ou portas, pois o cheirão invade a casa e fica até difícil respirar, especialmente se abrir a janela lateral, na sala de estar, onde a família se reúne à noite para ler, conversar ou ver TV.

Hoje tentei manter a porta da nossa garagem aberta enquanto trabalhava, mas logo tive que fechar por causa do fedor.

E, como nesta terça-feira também é feriado, vamos ter que aguentar o fedorzão por mais alguns dias.

- - -

19 fevereiro 2016 - O fedor do lixo guardado na garagem do restaurante continua horrível. Lembrando que, além de fedorento, o gás gerado pelo lixo em local fechado é perigoso (pode causar explosão, doenças, etc), como explica este texto tirado da internet:

Mesmo que os resíduos sólidos não sejam queimados, o material orgânico em decomposição gera, além do chorume, gás metano (CH4) e outros gases (como o gás sulfídrico), que causam odores desagradáveis, escurece a pintura dos edifícios vizinhos e se torna explosivo quando colocado em um depósito próximo ou outro espaço fechado. Algumas pessoas podem vir a desenvolver doenças respiratórias;


Fonte: http://www.setorreciclagem.com.br/3rs/ou-acabamos-com-o-lixo-ou-o-lixo-acaba-conosco/

- - -

Abril 2016 - Depois que o contêiner de lixo passou a ser deixado no lado de fora de garagem, no quintal do restaurante, o mau cheiro diminuiu consideravelmente. Bem melhor agora!



Abaixo algumas fotos que tirei durante os últimos anos do restaurante, suas obras, seus problemas, etc.


Azeite rançoso (que cobrimos com areia) derramado pela van que coleta o lixo.


Azeite rançoso (que cobrimos com areia) derramado pela van que coleta o lixo.


Caminhão sinalizando a rua antes de
bombear gás para o restaurante.


Caminhão do gás. Não estaciona ao lado do
restaurante, mas na frente da minha garagem, como os demais fornecedores do restaurante.



Imundície derramada pelo coletor de lixo.
Parece sangue, mas é beterraba...


Imundície sobre calçada e sarjeta, a poucos metros da minha casa, após "lavagem" do contêiner de lixo.


"Cadáver" da chaminé redireciona fuligem e fumaça para vizinhos - janeiro 2015.

Chaminé "torre de Pisa", dezembro 2014

26/9/12  Chaminé, à direita do restaurante, com "chapéu" torto, manda poluição aos vizinhos...


Nova chaminé (churrasqueira) começou a funcionar em 4/5/2011.

A poluição nossa de cada dia....

Fuligem da chaminé, retirada do varal no meu quintal, em 22-9-2011.


Kombi veio entregar batata, cebola, etc. Entregador (banco do passageiro) resolveu fazer xixi, na frente da minha casa (ver marca no chão, ao lado da roda)!!!

Carro da família sobre a calçada + 1 "cliente" que acabara de almoçar no restaurante em 24/11/11. Ninguém passa...

Entulho na calçada, 9/12/2010

Entulho na calçada, 14/12/2010

Antes da "extensão" da garagem - 6/11/2006
(eu era feliz e não sabia...)


Obra da "extensão" da garagem

Obra da parede irregular


Garagem "pronta" (bem no esquadro...)

21/9/12  Parte da manta asfáltica colocada em 2/9/12 caiu sobre meu telhado...

Reforma do telhado (28 julho 2009)

Reforma do telhado (27 julho 2009)

Reforma do telhado (24 julho 2009)